Gilmar Mendes diz que integrantes da Lava Jato foram crápulas, cometeram crimes e devem sair de cena
15/09/2019

Gilmar Mendes diz que integrantes da Lava Jato foram crápulas, cometeram crimes e devem sair de cena

Em entrevista à Folha de ‘S.greenwald’ (sempre a Folha), Gilmar afirmou que o Supremo não pode se curvar à popularidade do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e que integrantes da Lava Jato deveriam assumir que foram “crápulas”,  confessar seus crimes e sair de cena.

Para ele, as mensagens reveladas pelo site The Intercept Brasil e outros veículos desnudam um “jogo de promiscuidade” no seio da operação. “Simplesmente dizer: nós erramos, fomos de fato crápulas, cometemos crimes. Queríamos combater o crime, mas cometemos erros crassos, graves, violamos o Estado de Direito.”

Gilmar defende o encerramento do “ciclo de falsos heróis”, em alusão a Moro e ao procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da em Curitiba – os dois são os principais alvos das reportagens do Intercept. O ministro diz que o Supremo e o Congresso foram vilipendiados pela Lava Jato e pela mídia. “Esse fenômeno de violação institucional não teria ocorrido de forma sistêmica não fosse o apoio da mídia. Portanto, são coautores dos malfeitos”, disse.

Gilmar está prestes a liberar para julgamento um pedido de suspeição de Moro, apresentado pela defesa do ex-presidente Lula. “O conúbio [casamento] entre juiz, promotor, delegado, gente de Receita Federal é conúbio espúrio. Isso não se enquadra no nosso modelo de Estado de Direito.”

Uma das piores coisas que FHC fez ao governar o Brasil, foi ter colocado Gilmar Mendes no STF.

Inscreva-se na nova rede social da direita www.fenickes.com

Fonte: congresso em foco

Por: Flávio Braga. Curta minha página no Facebook
Curta e Compartilhe:
Fenickespb

Curta nossa página no Facebook